Domingo, 31 de Maio de 2009
Conceitos

 

Atracção Social
 
Relações Sociais
São interacções entre duas ou mais indivíduos ou entre grupos que subsistem no tempo.
A atracção interpessoal
            É uma avaliação cognitiva e afectiva que dos outros que nos leva a procurar a sua companhia.
Factores que influenciam a atracção:
            - Proximidade: São as pessoas com quem lidamos mais perto e mais frequentemente, são mais susceptíveis de nos atraírem. A proximidade relaciona-se com a familiaridade. A atracção relativamente a uma pessoa pode aumentar se estivermos constantemente com ela. A Familiaridade gere afeição. Ex. Quanto mais vemos um rosto mais gostamos dela (investigação com fotografias).
            - A Atracção física: A beleza física encontra-se associada a outras características positivas, como por exemplo, competências sociais. Estar-mos na companhia de alguém com uma boa aparência física aumenta a nossa auto-estima, porque nos vemos como alguém com boa aparência física aumenta a nossa auto-estima, porque nos vemos como alguém com qualidades capazes de interessar a alguém com qualidades muito valorizadas socialmente. A importância da atracção física diminui com o tempo.
            - Semelhanças interpessoais: Sentimo-nos atraídos por pessoas que tem sentimentos, comportamentos ou atitudes semelhantes às nossas. A semelhança produz afecto, porque as pessoas valorizam as suas opiniões e gostam de estar com os outros que as “validem”. Isto apesar do ditado “os opostos atraem-se” normalmente as pessoas esquecem-se que são da mesma religião, nacionalidade, classe social e nível de instrução.
            - Complementaridade: Simpatizamos mais com quem simpatiza connosco. Existe uma relação entre gostar de nós e a nossa auto-estima, pouco nos faz procurar a sua companhia.
 
 
Agressão
        Um comportamento que visa causar danos físicos e/ou psicológicos no outro.
 
Intenção:
            - Hostil:É um tipo de agressão emocional e impulsiva. Visa causar danos no outro independentemente das vantagens (Ex. Dar um murro no computador por perder um jogo).
            - Instrumental:Tipo de agressão que visa um objectivo, que tem em vista conseguir algo para além do dano que possa causar. É planeado. (Ex. O assaltante agride o segurança para assaltar o banco).
 
Alvo
            - Directa: O comportamento agressivo dirige-se à pessoa ou objecto que justifica a agressão. (Ex. A criança que agride o colega que tira o brinquedo).
            - Deslocada: O sujeito dirige a agressão a um alvo que não é a causa que deu origem à agressão. (Ex. O aluno que bate com a porta quando é expulso da sala).
            - Auto-agressão:O sujeito desloca a agressão para si próprio. (Ex. A criança que deixa de comer, como a forma de chantagens para os pais).
 
Forma de expressão
            - Aberta:É uma agressão explícita que se pode manifestar pela violência física e psicológica. (Ex. Andarem de briga).
- Dissimilada: Recorre a meios não explícitos de agressão. (Ex. Difamação, cinismo).
- Inibida: O sujeito não manifesta agressão para com o outro mas dirigida para si próprio. (Ex. O sentimento de rancor).
 
 
 
Inata ou adquirida?
Teorias sobre a agressividade
            - Teoria de Lorenz: Para este autor a agressão é inerente a todos os organismos. Seria um comportamento inato determinado geneticamente e que se manifesta face a estímulos que ponham em causa a preservação da espécie.
- Teoria de Freud: Para Freud, como a sexualidade a agressividade faz parte da matriz do nosso organismo. A nossa vida psíquica seria orientada por pulsões: a pulsão de vida e a pulsão de morte. As pulsões são impulsos energéticos que visam resolver uma tensão orgânica (fome, sede). Nascem no inconsciente. As pulsões de vida visam a manutenção do indivíduo. As pulsões de morte são destrutivas e explicam os comportamentos agressivos.
- Teoria de Dollard: Explicam a agressão pelo facto de um sujeito ter sido frustrado. Existiria uma ligação inata entre um estimulo (a frustração) e o comportamento de agressão, que funcionaria como um meio para afastar aquilo que impede o sujeito de alcançar os seus objectivos.
- Teoria de Bandura: O comportamento agressivo resulta de um processo de aprendizagem que se baseia na observação e imitação de comportamentos.
 
Critica
            Actualmente defende-se que a agressividade tem um valor para a sobrevivência das espécies, que só se expressaria quando essencial para a sua preservação. Existem nos seres humanos processos fisiológicos relacionados com a agressividade mas isso, não significa que o homem esteja programado para a agressão. Nada existe do ponto de vista fisiológico que obrigue o homem a ser agressivo (Critica de Lorenz).
 
Factores que induzem a agressão
            -Factores Biológicos: Existem hormonas que circulando no sangue activam ou inibem a agressividade. A testosterona, por exemplo, tem influência a este nível. 
- Factor álcool: Desencadeia respostas mais agressivas às provocações.
            -A Cultura: Em sociedade onde a agressividade é mais valorizada os índices tendem a ser mais agressivas.
            -A Familiaridade: Com imagens de violência provoca uma dessensibilização relativamente às consequências da agressividade.
 -Experiências eversivas: Experiências negativas podem provocar sentimentos negativos e agressivos para com os outros.
 
Obediência
        A obediência é a mudança de comportamentos por ordem directa de outras a quem é reconhecida a autoridade. Já não se trata de ser influenciado por uma maioria (conformismo).
            O sentimento de ser agente de outra pessoa pode servir para justificar comportamentos. Os guardas nazis justificam dessa forma o extermínio de milhões de Judeus.
            A obediência acontece quando as pessoas não se sentem responsáveis pelas suas acções porque agem sob ordem de uma autoridade. Esta sim, assume as responsabilidades dos actos.
           
            Factores que influenciam a Obediência
                        - A Proximidade com a figura da autoridade: Quando mais presente estiver a figura de autoridade, maior é a obediência – as pessoas sentem-se mais intimidadas.
                        - A pressão do grupo: A posição do grupo pode aumentar ou diminuir o efeito de autoridade.
                        - A legitimidade da figura da autoridade: Quando mais for reconhecida a autoridade, quanto for o seu estatuto, maior é a obediência.
                        - A proximidade da vítima:Se houver contacto visual ou auditivo com a vítima da acção a obediência diminui.
 
Intimidade
            Podemos relações ocasionais, de amizade, de namoro ou casamento. Estas relações varia o grau de intimidade.
            Numa relação íntima partilhamos o fundamental das nossas emoções e pensamentos porque sentimos a relação como segura e confiante.
            Uma relação de intimidade implica um grande envolvimento e uma comunicação profunda.
            Numa relação íntima a comunicação entre parceiros é uma condição indispensável para a existência da própria relação. Esta comunicação faz-se através de uma interacção verbal e não verbal. É possível através das atitudes corporais, expressões faciais, gestos e olhares avaliar o grau de intimidade de duas pessoas.
 
            Amizade
 
            A amizade varia sobre um conjunto de factores
                        - Idade: No infantário as relações não são duradouras nem são percebidas como relações de amizade; No primeiro ciclo marca o inicio da construção de relações mais duradouras. Aqui já existe a troca de confidências e cooperação. Na adolescência tratando-se de uma fase complexa da construção da entidade as amizades têm um papel preponderante.
            Entre os adultos, os amigos perdem a importância que tinham nas idades anteriores.
                        -Contexto Social: A expressão e valorização da amizade varia consoante a cultura. Por exemplo a amizade entre sexos é hoje encarada com naturalidade.
                        -Características individuais: As pessoas distinguem-se pelas suas aptências (capacidades) para estabelecerem de amizade. Por exemplo: pessoas mais tímidas terão mais dificuldade em relações de intimidade.
                        -Género:As mulheres normalmente têm facilidade em estabelecer relações de intimidade.
 
Amor
            O amor apaixonado, romântico, é um estado de envolvimento muito intenso com outra pessoa, em que intervêm uma excitação fisiológica, um desejo sexual.
            O amor companheiro é um forte afecto que sentimos por um conjunto de pessoas com quem temos relações fortes. Os nossos pais, amigos íntimos.
            Os dois tipos de amor representam estados psicológicos qualitativamente diferentes. O amor não é apenas gostar em maior quantidade.
 
            O amor tem três dimensões:
                        -A intimidade:Sentimentos que visam a proximidade emocional, a compreensão mutua e a partilha.
- A Paixão: Envolve um intenso desejo sexual, uma vontade irreprimível de estar com o outro.
-Compromisso: Corresponde à intenção de manter a relação. As diferentes relações que mantemos reflectem as diferentes dimensões em proporções diferentes.
Apenas quando existem os três podemos falar de amor.
 
 
 
 
 
sinto-me:
publicado por Psicologia A às 16:01
link do post | comentar | favorito
|
.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Maio 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
.posts recentes

. Pesquisa da Obediência

. Pesquisa conflito e coope...

. Mapa - Obediência

. Mapa - Intimidade

. Mapa - Amor

. Mapa - agressão

. Cidade de Deus - Filme

. Glossário

. Conceitos

. Preconceitos/filme – Bill...

.arquivos

. Maio 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

blogs SAPO
.subscrever feeds